Milldesk Sistema de Help Desk

Vocabulário

Publicado em 29/10/2019 em Coffee Break,SUPORTE - A Série

Vocabulário - Vida de Suporte

Transcrição:

Alex [aproximando-se da mesa, repleta de livros, do Usuário]: Olha só! Parece que alguém passou na livraria.
Alex [lendo os títulos dos livros]: “A fina arte de ligar o f*da-se”, “Seja uma pessoa f*da”, “F*deu total”, “Torne-se f*da”…
Alex: Por que todos esses livros?
Usuário: É pra melhorar o meu vocabulário.

Mais sobre livros f*odas.

Livro F*da

Publicado em 29/10/2019 em Gerente de projetos,SUPORTE - A Série

Livro F*da - Vida de Suporte

Transcrição:

Chefe [falando para o Colega do Suporte]: Um cliente me procurou para relatar que, ao te perguntar se você estava lendo algum livro…
Chefe: Você respondeu “f*da-se”!
Chefe: Isso é verdade?
Colega: É sim. Por quê?
Colega [oferecendo um livro com “F*da-se!” na capa]: Você quer emprestado?

Nova moda (ou seria f*da?) do mercado editorial.

Influências, Referências e Inspirações: São Bernardo

Publicado em 05/10/2010 em Influências e Referências,Livros

O livro narra em 1ª pessoa a trajetória Paulo Honório na sua gananciosa, desumana e violenta busca em se tornar um poderoso latinfundiário.

Quem já viu o filme Sangue Negro (There Will Be Blood, 2007) pode achar semelhanças com a obra de Graciliano Ramos, frequentemente considerada uma das maiores da nossa literatura.

Abaixo reproduzo alguns dos trechos mais emocionantes do livro:

Cinqüenta anos! Quantas horas inúteis! Consumir-se uma pessoa a vida inteira sem saber para quê! Comer e dormir como um porco! Como um porco! Levantar-se cedo todas as manhãs e sair correndo, procurando comida! E depois guardar comida para os filhos, para os netos, para muitas gerações. Que estupidez! Que porcaria! Não é bom vir o Diabo e levar tudo? Sol, chuva, noites de insônia, cálculos, combinações, violências, perigos e nem sequer me resta a ilusão de ter realizado obra proveitosa.(…)

As criancinhas, nos casebres úmidos e frios, inchariam roídas pela verminose. E Madalena não estaria aqui para mandar-lhes remédio e leite. Os homens e as mulheres seriam animais tristes.

Bichos. As criaturas que me serviram durante anos eram bichos. Havia bichos domésticos, como o Padilha, bichos do mato, como Casimiro Lopes, e muitos bichos para o serviço do campo, bois mansos. Os currais que se escoram uns aos outros, lá embaixo, tinham lâmpadas elétricas. E os bezerrinhos mais taludos soletravam a cartilha e aprendiam de cor os mandamentos da lei de Deus.

Bichos. Alguns mudaram de espécie e estão no Exército, volvendo à esquerda, volvendo à direita, fazendo sentinela. Outros buscaram pastos diferentes.

Mais sobre o livro São Bernardo no Wikipedia.

Graciliano Ramos no Wikipedia.

Análise da livro.

© 2019 Vida de Suporte | Feito com Wordpress - Desenvolvimento por Dk Ribeiro.