TOPDesk

Brincar

Publicado em 12/09/2013 em Histórias Reais,SUPORTE - A Série

Vida de Suporte

35 Comentários

93 disse:

EU NASCI EM 93 E NA MINHA ÉPOCA A GENTE BRINCAVA DE ESCONDE ESCONDE, PIQUE PEGA, POLICIA E LADRÃO… ERA MUITO BOM, MAS SINCERAMENTE EU PREFIRO OS DIAS DE HOJE. ESPERO QUE UM DIA QUALQUER UM POSSA TER ACESSO A ESSES APARELHOS E INTERNET ILIMITADA DE QUALQUER LUGAR DO MUNDO. VAI SER MUITO BOM.

ruan disse:

meu filho nao será assim…

André Silva disse:

infelizmente a mulekada ta ficando assim!

Leonardo disse:

Essa criançada de hoje em dia… “Tiu como baixa feicebuqi?”

Igor disse:

Culpa principalmente dos pais e professores.
É mais fácil dar um tabler/PC do que pegar pela mão e levar pra brincar na rua.

E digo isso como pai de um filho adolescente e outro de 3 anos, não proíbo o uso da tecnologia, mas incentivo as atividades ao ar livre.

Igor disse:

*tablet

Allan disse:

Concordo com o Igor, essa tal historia de tecnologia acalma criança está criando uma “geração de idiotas”, estão perdendo os contatos interpessoais o que certamente crescerá o numero de pessoas com problemas de relação pessoal, pois a maioria só vai saber se relacionar através de tecnologia, bora trocar a cabeça por um tablet com rosto…

eu sou de 77 e já brincava de pique esconde no video game .. oh saudade do velho e bom atari ..hehehhehehehe..

Danilo disse:

guri de 9 anos: como hackeia facebook??

93.2 disse:

eu também nasci em 93 e prefiro aqueles tempos do que os atuais… a galerinha não consegue sequer pedir uma informação sem ficar totalmente envergonhado, gaguejando e sem conseguir corretamente o que espera, estão ficando muito “lesos” para os dias atuais.
prefiro minhas brincadeiras de quando criança =)

Rodrigo disse:

Na minha geração falaram a mesma coisa sobre a TV. Babá eletrônica. Só teve uma migração para a internet.

Fernando disse:

Eu vi isso no Comedy Central.

Brito disse:

Ruan, vc disse: “meu filho nao será assim…”;
E ele vai brincar com quem??

Ricardo disse:

Brincar na rua de lama, estourar joelho, carrinho de rolimã, andar de bicicleta a tarde toda, explorar terreno baldio no fundo da rua… coisas que não se fazem mais ;__;

Fabio disse:

É tudo questão de orientação correta. Temos uma grande diversificação de recursos, e blá-blá-blá. Então precisamos ensinar a usar a tecnologia a favor, e não a se entregar como um refém desta.

Adriano Goncalves disse:

Não baixa, joga online…

Rafael Felipe disse:

Tenso demais essa nova geração.

Ed Michel disse:

Que foda…..hauahuhuaha

Rodrigo disse:

esconde, pião, bolinha de gude, estourar o dedão jogando bola na rua, pega-pega, Taco, pipa, entre outras molecagens… muitas saudades dessa época

André Farias disse:

Quem aqui já brincou de passar o anel?

Pareto disse:

Nasci em 1977, anos 80 foram os melhores, sem politicamente correto e sem a “idiotice” de tudo ser na internet, trabalho com Infra e TI e meus filhos não serão assim, usarão a tecnologia, mas não perderão a humanidade.

qgustavor disse:

Enquanto vocês ficam falando sobre a infância que tiveram alguém leu a tirinha e já disparou a programar esse jogo.
Esconde esconde é a da tirinha, explorar terreno baldio no fundo da rua é, em parte, já tem
… acho que vou fazer José Roubou pão da Casa do João no Facebook só que não.

Guilherme Noronha disse:

Hahahhaha…. Essa tirinha foi muito boa…
As vezes não entendo, as pessoas criticam tanto assim a tecnologia de hj, mas estudamos para melhorar ainda mais… Realmente o que acontece eh a criançada de hoje utilizam de modo incorreto, não tem aquele incentivo para estudar. Hj o tempo total que a maioria das “crianças” passam na frente do PC eh para games, site de relacionamentos, entretenimento…. pouco utilizam ferramentas para estudo.
Sou novo ainda, sou de 89 trabalho desde 2005 com ti, mas tive uma infância ao ar livre, computador, consoles, mas nem por isso ficava trancado em casa jogando o tempo todo, eram estipulado as horas para cada coisa, acho que hj falta um pouco mais de cobranças da parte dos pais.
Só para reforçar… Muito boa a tirinha.

Daniel Cortez disse:

Tenho uma filha de 5 anos, ela já mexe no computador, gosta muito do paint, bloco de notas e alguns joguinhos de meninas nas interwebs. Mas, ela prefere brincar ao ar livre mesmo.

Cleo disse:

Lembrei de uma frase que dizia:”Nos preocupamos tanto para que nossos filhos tenham o que não conseguimos ter, que esquecemos da importância de dar a eles aquilo que tivemos.”
A atividade virtual só é interessante porque sabemos que existe algo de real além dela.

Marcos Dantas disse:

Peraí, Igor!
Culpa dos professores?

Monica Farias disse:

Tá faltando Merthiolate pra essa garotada… =/

Jefferson disse:

Eu vejo isso como um fenômeno nas famílias mais endinheiradas apenas, afinal nem todo mundo tem condições de dar um tablet pros filhos. Agora se você subir qualquer favela brasileira, vai ver a molecada brincando de bolinha de gude, peão, soltando pipa, jogando bola…

Rafael disse:

Sabe eu Li um comentário acima, em que o cara culpa os pais e professores, eu fui professor de informática para crianças do ensino fundamental 1 e 2, e sabe o que eu constatei neste tempo, é que o uso das tecnologias não são estimuladas pelos pais em casa para um fim próprio e sim é usado como fuga, quer um exemplo o filho chega para o pai quando ele esta assistindo o jornal e o pai fala, vai usar seu computador e deixa eu assistir em paz, ou a mãe fala deixa eu assisti a novela vai pro seu quarto usar o computador e deixa eu assistir o último capítulo da novela, os professores mal sabem usar o PC que o governo mandou com Linux educacional, então temos que repensar as nossas atitudes como pais e mães, e não culpar as tecnologias. Quantas vezes você ja sentou no sofá e assistiu desenho com seu filho e depois ficou até 1h ou 2h da manhã gerando relatório, mas fez seu papel de pai e mãe? PENSE!!!!!

Nilmar disse:

Eu tenho uma filha de 8 anos, ela adora jogar no computador, assistir TV e principalmente brincar com outras crianças de casinha, pega-pega, etc… Acredito que pode ter equilíbrio pra tudo… Parabéns pela tirinha! Muito questionadora.

Karina disse:

Eu tenho um pequeno de quase 5 anos.

É impossível ele não ser atraído pelo computador, se temos um em casa e utilizamos para estudo e, sim, para Facebook e outras idiotices que amamos.

Volta e meia ele pede pra deixar um recado para algum amiguinho no “Feici”. Claro que ele não tem perfil, eu acesso o meu e ele escreve o tal recado para a mãe do amiguinho.

Mas, porém, contudo e entretanto, na maior parte dos dias eu chego da rua com ele às 22 horas 😀 Eu tenho desculpa para brincar de pique pega novamente, mas há dias em que estou cansada sim. Aí ele se esbalda no pula pula ou, então, vou com ele à praia e lá sempre tem alguém para jogar bola com ele.

Enfim, há vida fora do Feici e dos video games da vida. Mas é inevitável que os pequenos se virem melhor com as bugingangas tecnológicas.

Ah, e André Farias, eu brinquei muito de passar anel… “Fui à Bahia, perdi meu anel, com quem está?!” E agora, após anos, me veio uma dúvida: os baianos brincavam como ?!?!

Andre disse:

Piada não. Tirinha realista, isso sim!

Eu sou de 80, ganhei um ATARI aos 9 anos. Era fissurado nele, mas NUNCA deixei de jogar bola, correr, pular e brincar até cansar.
Acredito que a diferença esteja no fato de haver com quem brincar. Na minha infância havia quase 10 crianças entre primos e vizinhos.
Hoje meu filho de 9 anos não pensa em outra coisa além de jogos de PlayStation e Computador. Pudera, coitado. Onde moramos, apenas aos domingos ele dispõe de amigos para “brincar lá fora”. Aí sim, ele esquece os benditos jogos virtuais.

JP disse:

@Karina: com o anel dos turistas… 😀

Rodrigo disse:

Kkkkkkkkkkk
“Eu nasci em 93… Prefiro meus tempos aos atuais….”
Fala serio né… 93?? Crianca nesse época já era tudo alienada…..
Agradeçam aos seus pais se n se tornaram alienados….

Deixe uma resposta

© 2016 Vida de Suporte | Feito com Wordpress - Desenvolvimento por Dk Ribeiro